16 de julho de 2011

#24Horas24Crônicas #21 - Anônimos Anônimos

(tema sugerido por: @renatacv)

Estava voltando para casa do trabalho quando avistou uma figura familiar a sua frente. O mesmo cabelo, o mesmo modo de andar. Até a jaqueta era parecida. Não teve mais dúvidas, só podia ser o...

- Fernando!

- Pedro! Que surpresa, cara!

- Eu que o diga! Você sumiu!

- Ah, sim... Tenho andado bem ocupado.

- Todo mundo tem reclamado disso na turma. Faz semanas que ninguém sabe de você.

- Ah, rapaz, passei por uns problemas...

- Sério? O que houve?

- Ah, deixa para lá...

- Não, não. Diga. O que aconteceu?

- Ah, Pedrão...

- Fernando, nós somos amigos, cara. O que aconteceu? É mulher?

- Não, não.

- Dinheiro?

- Não.

- Fernando?

- Oi...

- Abre o jogo.

Vendo que não havia escapatória, Fernando apontou o bar do outro lado da rua. Cinco minutos depois, estavam no balcão tomando uma cerveja. Na metade do primeiro copo, ele começou a falar.

- Então... Eu estou frequentando uma associação.

- Como assim?

- Como eu disse, passei por uns problemas...

- Sim, sim. Que associação?

- Olhe, você tem que prometer que isso vai ficar entre nós.

- Fale logo!

- Não. É sério. Prometa! Mesmo!

- Ok. Prometo.

- É um Anônimos, sabe?

Pedro imediatamente olhou o corpo de cerveja na mão de Fernando.

- Não, não precisa se preocupar. Não sou alcóolatra.

Por um lado, a notícia era boa. Por outro, não. Se Pedro não frequentava os Alcóolicos Anônimos, podia ser algo pior. Provavelmente seria algo pior. Não havia mais motivos para rodeios.

- Abre o jogo.

- Ok. Chama Anônimos Anônimos.

- Como?

- Anônimos Anônimos.

- Que diabo é isso?

Os olhos de Fernando estavam começando a marejar.

- Cara, hoje em dia, todo mundo é famoso! É Big Brother, é Internet...

- Sim, e daí?

E daí que as lágrimas romperam numa torrente! Fernando desmoronou e escondeu o rosto molhado nas mãos.

- Eu não sou famoso! Ninguém sabe quem eu sou! Ninguém! Eu ando pela rua e sou apenas
mais um cara qualquer! Um merda!

- Não, você não é uma merda!

- Sou sim! Sou sim! Todo mundo é conhecido hoje, menos eu!

- Não é assim.

- Bom, pode ser que nem todo mundo queria ser famoso. Mas eu queria! E não consigo! Nada do que eu faço dá certo!

- Calma. E essa associação?

Fernando limpou o nariz escorrendo com a manga da camisa. Ainda bem que ele não era famoso, senão teria que perder essa mania.

- Então... Como eu disse, é como se fosse um Alcóolicos Anônimos. Mas é para gente como eu, que deseja ser famosa e não consegue.

- Como assim?

- Anônimos Anônimos, sabe? Somos Anônimos por não sermos famosos, e Anônimos por não precisarmos falar nosso nome real lá dentro.

- Mas... Mas o que vocês fazem?

- Ah, primeiro temos uma reunião de grupo. Cada um se apresenta e diz há quanto tempo não está pensando em um modo de se tornar famoso. Eu consegui ficar assim por dois dias, uma vez. Ganhei até uma medalhinha. Quer ver?

- Não, não precisa.

- Depois temos dinâmicas de grupo. Por exemplo, semana passada, simulamos uma noite de autógrafos, como se o nosso terapeuta estivesse autografando seu livro. Assim, nós formamos uma fila para conseguirmos autógrafo, e precisamos nos esforçar para não ficar olhando na direção dele com inveja, por exemplo.

- Entendi...

- É bacana, tem me ajudado bastante. Estou bem mais relaxado. Por exemplo, ontem mesmo estavam fazendo uma reportagem para a televisão ali naquela avenida. Você viu?

- Não.

- Eu vi. Pedro, se isso tivesse acontecido alguns meses atrás, eu teria ficado cego. Não conseguia pensar direito. Na mesma hora, eu teria corrido para trás da repórter, para ficar pulando e acenando para a câmera. Sério, que vergonha.

- Calma. Você não fez nada disso, certo?

- Não. Mas foi muito difícil... Eu olhei a câmera ali, na minha frente... Fiquei pensando que o Brasil inteiro poderia me ver naquela hora. Mas me controlei.

- E aguentou?

- Mais ou menos. Tive que sair correndo para casa. Passei o resto do dia tremendo, de cama. Crise de abstinência, sabe? Não era um jornal qualquer, era o jornal da noite. Puta audiência. Foi difícil, cara. Foi bem difícil.

- Mas agora você está bem.

-Estou. Mas não 100%. Essa câmera me afetou muito. Então, consegui dois de folga do trabalho, com atestado e tudo.

- Que ótimo.

- Isso tem me ajudado demais, Pedrão.

- Fico feliz, cara. De verdade.

- Agora eu preciso ir. Hoje vamos ter uma prova difícil.

- Qual?

- Vamos entrar nas redes sociais e apagar todas as fotos em que estamos pulando na frente dos outros, para aparecer mais que todo mundo. Eu vou me ferrar, tenho umas 50 fotos assim.

- Mas você vai conseguir. Tenho certeza.

- Tomara. Mantenha isso em segredo, por favor. Pela minha família. Meu pai morre de vergonha de ter um filho que quer ser famoso. Por favor.

- Pode deixar. E, olhe, precisando, é só falar, viu?

- Obrigado, Pedrão. Você é um puta de um amigo.

- Se cuida.

- Pode deixar.

Mas não se cuidou. Quer dizer, tentou. Mas não conseguiu. Semanas depois, o Fantástico descobriu a Anônimos e Anônimos e entrou em contato para fazer uma matéria. Claro que o pedido foi negado pela segurança dos participantes, mas o estrago já estava feito. Afinal, era o Fantástico. Sem saber como lidar com isso, Fernando fugiu do grupo e de casa, e desapareceu totalmente.

Depois de alguns meses, a família desistiu de procurá-lo. Achavam que ele estava totalmente perdido, vendendo o corpo para conseguir pontas como figurante em Zorra Total, ou gravando vídeos musicais para colocar no Youtube. A última vez que realmente souberam de algo dele, descobriram que estava em Minas Gerais. Foi num domingo, quando ele atravessou o gramado do Mineirão pelado durante um Cruzeiro e América.

O pai desligou o televisor e nunca mais tocaram no nome do Fernando dentro de casa.

8 leitores:

Anônimo disse...

doente.

Kika® disse...

MUITO doente.

Mari Hauer disse...

Hahahaha.... como vc imagina essas coisas? Sério! MUITO doente [2]

Marina disse...

Hauahuahuhauahuhau! Só pode ser o sono cobrando a conta. Ficou demais.

Anônimo disse...

Sim, doente. Mas sensacional haha Queria entender como ainda tem criatividade depois de já ter escrito 20 crônicas nas últimas horas.

Varotto disse...

Quando eu passei para a faculdade meu nome foi publicado no jornal...

Eu sou famoso?

IsabelVeronica disse...

"Fernando limpou o nariz escorrendo com a manga da camisa."
Que cara porco!!

Ainda bem que ele não apareceu pelado no jogo do meu amado e idolatrado, Atlético Mineiro.

Camila disse...

Hahahahhahahahahaha

 

Championship Chronicles © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates