17 de junho de 2016

Sabores que Rimam

Suas madrugadas começavam com sabor de adolescência. Admirava-se em espelhos de olhos diferentes, sorrindo vinhos baratos que fingiam ser Porto. Onipotente, exigia ação imediata, por precaução de desaparecer na luz da manhã. E não se satisfazia com gritos, apenas com aqueles que carregassem seu nome janela afora. Suas madrugadas terminavam com sabor de incoerência.

Suas manhãs começavam com sabor de velhice. Não reconhecia a garota do espelho, e cuspia a pasta de dentes prometendo nunca mais. Tímida, saía de casa com medo de que a luz da manhã a revelasse. E naufragava em meio aos ruídos da cidade, tentando esquecer o prazer vazio de ver seu nome gritado por um estranho. Para ela, era hora de parar. Suas manhãs terminavam com sabor de tolice.

Suas tardes começavam sabor de infância. Os pecados pareciam residir no passado, e a ausência deles a tornava mais leve. Sua vontade de uma noite com ela mesma tornava-se fácil de ser driblada. A aventura de se esconder em amores desconhecidos surgia como a brincadeira ideal. E todo o resto podia esperar, pois tinha a vida pela frente. Suas tardes terminavam com sabor de ganância.

Suas noites começavam com sabor de maturidade. Mulher, escolhia seu alvo sem se preocupar com paixões que pudesse despertar. Prometia mais que amor eterno, e sim idolatria e admiração, atraindo suas presas. Vendia fantasias com a certeza de que desviaria os olhos sempre que quisesse. E ressoava convites até abrir a porta para um desconhecido. Suas noites terminavam com sabor de celebridade.

Suas madrugadas começavam com sabor de adolescência. Beijos desesperados faziam com que ela esquecesse o amor perdido. Ouvir seu nome ser entoado fazia sentir-se melhor comigo mesma. Suas mãos causavam suspiros, seus beijos despertavam sonhos, seu corpo ordenava gemidos. E ela sorria. Para ela, era apenas um jogo de poder. Suas madrugadas terminavam com sabor de urgência.


Sua vida começava e terminava com um sabor de dependência.


(Obrigado a Elise Garcia por jogar, no Twitter, duas frases dessa crônica)

2 leitores:

Alan Flamer disse...

Eu ia chutar que a sugestão dela teve alguma coisa a ver com o vinho ali. Pelo visto eu conheço bem minha namorada. xD

Esse foi o texto seu mais poético que eu já vi. Muito bom. ^_^

Alex Gemeos disse...

Sensacional

 

Championship Chronicles © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates