5 de maio de 2014

Meu Nome é Internet

Meu nome é internet e tenho razão sobre tudo. Não existe um assunto que eu não domine. De política à defesa da seleção, tenho sempre argumentos para provar que você está errado, e farei isso sempre humilhando você. Eu sou especialista sobre o assunto de hoje, e entendo mais do que você sobre aquilo que você está pensando. Dê sua opinião e eu mostrarei – em praça pública – onde você está errado, porque você é burro. Assuma não entender direito um assunto e eu condenarei sua falta de informação. Discorde do que digo e eu responderei com desprezo e piadinhas para ridicularizá-lo. A única dúvida que tenho é quando vocês vão perceber que eu sempre estive correta. Porque eu tenho razão sobre tudo e sou engraçada.

Meu nome é internet e eu sou engraçada. Eu não faço piada com tudo, apenas com os assuntos que não entendo, não dou valor ou que não me ofendem. E meu humor vence pelo cansaço, seguindo as mesmas fórmulas e tendo como alvo quem não pode se defender. Brinco de fazer trocadilhos, invento montagens fotográficas e honro você com minha inteligência ácida e refinada, fazendo piada em cima dos programas ruins de humor que têm o sucesso que eu gostaria. Mas não faço piada com tudo e me calo quando é um assunto que pega bem eu defender. Porque eu sou engraçada, mas sou politicamente correta.

Meu nome é internet e sou politicamente correta. Defendo bandeiras que planejei cuidadosamente defender para ganhar aplausos. Da caça às focas ao trabalho escravo no Sudão, estou sempre empunhando bandeiras e discursando o mais do mesmo. Ataco os partidos que todos atacam, condeno as instituições que todos condenam. Nunca sou o primeiro a jogar a pedra, mas tomo cuidado para jogá-las na mesma direção que todos estão jogando. Exerço a minha liberdade de expressão para ressaltar que você não tem o direito de falar o que está falando. Porque as bandeiras que eu defendo são mais importantes que as suas. Pois, para defender bandeiras, é preciso ter sensibilidade. E eu tenho. Porque eu sou politicamente correta, mas sou sensível.

Meu nome é internet e eu sou sensível. Faço questão de me emocionar com histórias de superação, que mostram como pessoas que sofreram no passado hoje são felizes. Às vezes, deixo uma lágrima cuidadosamente planejada cair diante das câmeras. Faço questão de dizer como as pequenas coisas mudaram meu dia para melhor, e repito a todo instante que quero apenas uma casa no campo, com uma música bonitinha e ficar quietinha, ali, em silêncio, pensando no quanto a amizade, o amor e a sinceridade podem mudar o mundo. E posto uma foto bonitinha com uma legenda genialmente inspiradora, porque todos gostam de fotos hoje. Porque eu sou sensível e faço o que está na moda.

Meu nome é internet e faço o que está na moda. Já fui escritora, mas quando as pessoas pararam de ler eu passei a dizer que sempre fui fotógrafa. E quando todos começaram a sempre ter sido fotógrafos eu sempre adorei cozinhar. Eu descubro outras maneiras de estar à frente. Sempre adorei a comida que está na moda, sempre fui apaixonado pelo cachorro que todos têm, sou uma das últimas a comprar o livro que todos estão lendo, mesmo falando que fui uma das primeiras a ter lido. Semana que vem, eu sempre adorei outra comida, sempre quis o gato que todos querem, e sempre gostei do livro que você estão falando e ainda não comprei. E vou ser a maior fã da série de TV que vocês comentam, mesmo reclamando do episódio de ontem. Porque eu estou na moda e gosto de reclamar.

Meu nome é internet e gosto de reclamar. Reclamo do frio e do calor. Reclamo de fome depois do almoço, resmungo que estou com sono depois de dormir bem. Reclamo do chefe e da família, às vezes escondendo minha incompetência no trabalho e meu egoísmo dentro de casa. Falo mal dos amores perdidos para disfarçar o fato de que eles não se perderam, eu que os perdi. Falo mal dos amigos egoístas para que ninguém repare que eu não dou a mínima para eles na maior parte do tempo. Falo o tempo todo das minhas dores e incômodos esperando que você me conforte e diga o quanto sou bonita, o quanto me visto bem, o quanto o meu cabelo está legal, o quanto sou inteligente e inspiro as pessoas. Falo mal da vida, do salário, do passado, do futuro e de você – mas sem citar seu nome. E tenho razão em reclamar, porque eu sei do que estou falando. Porque eu gosto de reclamar e tenho razão sobre tudo.

Meu nome é internet. Mas pode me chamar de Humanidade.

6 leitores:

Kika Lindoso disse...

Ainda bem que a gente tem a sorte de ter pessoas como voce nessa humanidade maluca. No ponto, como sempre. ;)

Larissa disse...

Perfeito. Tocou em um ponto que já me peguei pensando várias vezes: a internet tornou as pessoas mais boçais ou as pessoas passaram exercer mais a sua boçalidade por causa da internet? Embora ainda não tenha certeza, estou mais inclinada a apostar minhas fichas na segunda opção.
Abraço
Larissa

Varotto disse...

Fantástico! Serei sempre seu fã, mesmo você sendo um doente.

Guilherme disse...

Genial!! Rob, que texto bem escrito.

Abordou todos os pontos e mostrou de uma maneira bem fácil como a "internet" de hoje funciona.

Giovana disse...

!!!

leonardodms disse...

Incrível, pra não variar nem um pouco. Identifiquei muitos de meus conhecidos e a mim mesmo em vários trechos. O desafio da nossa geração é preparar nossos filhos pra lidar com o 'não', já que somos incapazes de ser contrariados sem reagir com agressividade ou insegurança.

 

Championship Chronicles © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates