11 de novembro de 2011

A

Sabe aquele momento em que o papo já acabou, mas a cerveja ainda não? Foi o que aconteceu com os dois, ali na mesa do bar. Ainda havia cerveja nas garrafas, mas os assuntos sumiram, dando lugar a uma espécie de entressafra de conversas.

Até que, claro, um deles, rompeu o silêncio, falando mais para si mesmo do que para o amigo.

- Amor. A de amor.

O amigo, lendo distraído o rótulo da garrafa, não entendeu ao certo e pediu ao outro que repetisse.

- Amor. Amor começa com a letra A.

- Sim. E daí?

- Adeus também começa com a letra A.

- Ué, deve ser coincidência...

- Será? Seria coincidência demais. Amor e adeus. Mesma letra.

- Mas aonde você quer chegar?

O primeiro precisou pensar por alguns instantes antes de responder. Neste meio tempo, aproveitou para dar mais um gole na cerveja.

- Amor e adeus. Mesma letra. Mesmo destino.

- Destino?

- Sim. Todo amor vai acabar em adeus. Eles são indissociáveis. Como água e óleo.

- Não, eles não se misturam.

- Amor e adeus? Claro que se mistur...

- Não, não. Água e óleo. Estes não se misturam.

- É, tem razão. Errei. Água e óleo não misturam. Mas deixa isso de lado. Estou falando do amor e do adeus.

- Certo.

- Todo amor vai terminar em adeus. Todo. Nada dura para sempre. Que seja eterno enquanto dure, sabe?

- Mas você não tem como saber isso. Podem existir amores que são eternos de verdade.

- Não, não. Você não entende? Amor e adeus começam com a mesma letra. Não pode ser apenas uma coincidência. É quase um sinal.

- Um sinal?

- Isso. Algo cósmico, talvez. Não sei. Mas meu ponto é: as palavras estão interligadas. Começa no amor e termina no adeus. Todo amor vai virar adeus.

Pediu mais duas cervejas e um novo prato de amendoins. O amigo pensou um pouco a respeito da teoria e levantou uma questão interessante.

- Mas aí o adeus vira amor.

- Como assim?

- Você disse que o amor vira adeus, certo?

- Certo.

- Mas aí a pessoa fica sozinha até conhecer outra pessoa e amar novamente. Ou seja, aquele antigo adeus virou amor.

- Mas e daí? Este novo amor vai virar adeus do mesmo jeito! É sempre isso. Não importa quantos amores você tenha, você terá o mesmo números de adeuses.

- Adeuses?

- Adeuses. O plural de adeus.

- Isso existe? Esta palavra?

- Não sei. Mas você entendeu. Amor e Adeus. Os dois com a letra A. Tudo ficou claro agora.

- Claro? O que ficou claro?

Pousando o copo na mesa, ele observou o amigo como quem acabara de resolver o enigma da existência humana. Ou algo parecido, já que ninguém decifrou esse enigma até hoje. Mas se alguém tivesse descoberto quem somos nós, de onde viemos e para onde vamos, no meio de uma mesa de bar, teria olhado para o amigo desta mesma forma.

- Eu nunca mais vou amar.

- Como assim?

- Eu não gosto do adeus. Assim, se eu nunca mais amar, eu não precisarei passar pelo adeus. Por nenhum deles.

- Mas não vale a pena!

- Não importa.

- Você vai sair perdendo.

- Não vou. Vou perder os adeuses... Não sei se essa palavra existe, mas foda-se. Enfim, vou sair ganhando. Amor e adeus. Basta fugir de um para escapar do outros

- Tudo por causa da letra A?

- Isso.

- Mas amor em inglês é Love. Começa com L.

- Ah, quem se importa com isso? Aqui a gente fala português.

- Bom... Certo.

- E em italiano é amore. Amore. Com A. Você não vai tentar me convencer de que os ingleses manjam mais de amor que os italianos, certo? É o que eu disse. Letra A.

- A?

- A.

- Você nunca mais vai amar por causa da letra A?

- Sim, é o que eu disse.

- A. Tipo... A de abraço?

- Isso.

- De afago?

- Sim.

- A de... Amabilidade?

- Isso.

- A de... A de ardor. De apego.

- Sim...

- Você vai abrir mão do A de aconchego. E do A de afeição.

- ...

- Vai abrir mão do A de... Hum... A de... Já sei! A de afeto!

- Certo! Já entendi!

- Estou apenas mostrando a você o que mais tem com letra A. Afinal, é justo que você saiba. Adoração.

- Oi?

- A de adoração. Adoração é uma boa!

- Chega!

- A de... A de apaixonado!

- Ok, esquece! Você venceu!

- Tem mais ainda... Basta procurar.

- Não quero mais falar disso. Vamos pedir a conta.

- Cerveja e conta começam com a letra C. Será que é porque uma sempre leva à outra?

- Pede e conta e para de encher meu saco!

- Aí é melhor pagar a conta da cerveja com cartão. Ou cheque! Letra C, sabe?

- Pára com isso! Você venceu!



(Dedicado a Ana Claudia,
cujo nome começa com muitos As,
mas jamais com A de adeus)

7 leitores:

Ana disse...

*.*
E aí eu fico sem palavras...
Te amo, Luv. <3

Aru disse...

Lindo Pra mim foram duas crônicas e a primeira terminou aqui:

"Pousando o copo na mesa, ele observou o amigo como quem acabara de resolver o enigma da existência humana. Ou algo parecido, já que ninguém decifrou esse enigma até hoje. Mas se alguém tivesse descoberto quem somos nós, de onde viemos e para onde vamos, no meio de uma mesa de bar, teria olhado para o amigo desta mesma forma."
lindo

Camila disse...

Eu acho que certos aspectos da linguagem não são mera coincidência.

PS: muito bom o texto, Rob!

Nicole Nicolela disse...

"A" desta Amizade. De todas que não se vale a pena abrir mão...

Lucas Reis disse...

Os filósofos de boteco são os melhores. ;P

Mari Hauer disse...

Adoro papo de bar! Ainda mais quando duas pessoas concordam! haha...

Brincadeira! O texto é lindo e, se amor leva a adeus, eu não sei. Só sei que o que tem no meio entre esses dois "A"s vale tanto a pena que nem importa! Amar é sempre bom!
Um beijo pra vc e pra Ana!

M. disse...

Em inglês é Love e Leave. mesma letra...

 

Championship Chronicles © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates