26 de dezembro de 2009

Pra Caralho

Estavam numa livraria. Ela, folheando livros. Ele ao lado dela. Namoravam há quase um ano. E, pelo canto do olho, ela percebeu que ele não estava olhando livro algum, estava olhando para ela.

– O que você está me olhando?

– Eu amo você pra caralho, sabia?

– Oi?

– Eu amo você pra caralho.

– Credo, não tem um jeito mais bonito de dizer isso?

– Não tem. Eu já amei antes, já namorei outras pessoas antes de você. Mas, eu estava olhando você agora e descobri que eu amo mais você que as outras pessoas. Eu amo você pra caralho.

– É que é feio.

– Eu sei. Mas se eu estivesse preocupado com o jeito que digo eu te amo, é porque talvez eu não amasse tanto você. Se a pessoa está mais preocupada em como falar isso, é porque talvez o amor não seja tão grande assim.

– Claro que não!

– Claro que sim! Veja bem, se eu quero dizer que te amo, e fico pensando em qual música colocar para dizer isso, onde levar você, não é autêntico. É bonito, mas não é 100% autêntico. Um “eu te amo”, às vezes, não pode esperar. Especialmente quando é um “eu te amo pra caralho”. Esse sim é de verdade.

– Não, o eu te amo normal também é de verdade.

– Sim, mas o eu te amo pra caralho não é pra ser bonitinho. Ele é realista. Eu acredito muito mais num “eu te amo pra caralho” do que num “eu amo você, meu amor”. É floreado demais. O “eu te amo pra caralho” é vida real. Os outros são de livros e filmes. O meu, não. O meu é real.

– Você é louco.

– Sim, sou. Por você. É isso que estou tentando dizer. É aí que entra o pra caralho. O eu te amo pra caralho é aquele amor que define sua vida. Por exemplo, aposto que se não fosse a censura da época, o Bogart teria dito, na pista do aeroporto, que amava a Ingrid Bergman pra caralho. E ela teria ficado com ele. Porque ela não amava o Paul Heinred pra caralho, tenho certeza.

– Aí eu concordo.

– Você acha que se a Vivien Leigh batesse na porta do Clark Gable dizendo “eu te amo pra caralho” ele teria dito “eu não me importo”? Duvido. Porque ele amava ela pra caralho, ele só precisava ouvir isso. Então, não importa o “eu te amo”, importa sim o jeito que você fala. E o “eu te amo pra caralho” é a forma mais realista e explosiva que existe. Ela não é bonitinha, não é perfeitinha, mas é sincera. Sincera a ponto de ter um palavrão no meio.

– Um bem cabeludo, por sinal.

– Sim, mas um “eu te amo, porra” ou um “puta que pariu, como eu te amo”, não funcionariam. O pra caralho é mais forte.

– Você é louco.

– Ei...

– Oi.

– Eu amo você. Pra caralho. Pra caralho mesmo.

Ela fechou o livro que estava folheando e olhou para ele. E, olhando para ele, percebeu que havia acabado, também, de fazer uma descoberta.

– Nossa vida vai ser do caralho, né?

Ele apenas sorriu.

14 leitores:

Não sei...só sei que foi assim! disse...

Muito bonito!

Às vezes um sorriso vale mais que um "pra caralho"!

MaxReinert disse...

Bonito.... "pra caralho"!

Gabriel Alex disse...

Cara, sabe o que é um blog bom pra caralho? To nele agora!

Talita Galli disse...

ganhou uma fã.

quanta coisa bonita aqui. =)

Layla Barlavento disse...

Como sempre, um texto excelente!

Pri disse...

Simplesmente Perfeito!

Anepigrafia disse...

Tô com o Gabriel Alex!!!! Tô nele agora e volto sempre porque não dá para ficar sem essas linhas!!
#beijojávou

Otavio Cohen disse...

haha c sabe do que c ta falando ne.

Matheus Silva disse...

depois de ler tantas vezes esse texto eu tenho que deixar um comentario

essa cronica é foda pra caralho

Lívia Suelen disse...

Gostei pra caralho.

Jullia A. disse...

Co tanto trocadilho com 'pra caralho' vou dizer que eu gostei pra cacete.

Anônimo disse...

Bom, prá caralho,...

Emilly Hungria disse...

rsrsrs... Ahh, jah passei por isso mas no fim vi que um TE AMO P CARALHO, tbm vale! Mas nao todas as vezes, neah?! Tem que ter um pouquinho de romance no ar.

Paulo Seben disse...

Puro Caio Fernando Abreu.

 

Championship Chronicles © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates